Colecionismo: Modus Operandi, 1900-1950 | Data limite: 15 de Março.

Em 2019, celebram-se cinquenta anos desde que o Museu Calouste Gulbenkian e a Biblioteca de Arte abriram as portas ao público. Calouste Gulbenkian era conhecido como o Sr. 5%, que procurava «only the best», mas esta conferência procura ultrapassar os meros episódios biográficos do colecionador e considerá-lo à luz de um contexto mais alargado. Procuramos receber, em particular, comunicações que reflitam de forma inovadora sobre como operavam os colecionadores, as suas redes de conhecimentos, e a relação que tinham com as suas coleções, no que diz respeito a acessibilidade e preocupações com o futuro. Damos preferência a comunicações que vão além de casos de estudo focados num único colecionador, pretendendo, pelo contrário, estudos mais transversais sobre o comportamento dos colecionadores e o modo como este reflete o período em que viveram. Desejamos também apresentar novas perspetivas sobre o colecionismo de objetos não ocidentais, em particular das artes decorativas do Médio Oriente. Investigadores que tenham necessidades específicas de consultar os arquivos da Fundação Calouste Gulbenkian poderão vir a receber apoio financeiro para fazê-lo.

Convidamos os potenciais conferencistas a apresentarem resumos até 300 palavras, para a seleção de comunicações de 20-30 minutos a serem apresentadas na Fundação Calouste Gulbenkian de 14 a 16 de fevereiro de 2019 .

Serão consideradas as comunicações sobre qualquer tópico relevante no período compreendido entre 1900 e 1950, mas será dada especial relevância aos temas seguintes:

i) A relação com os negociantes de arte e os intermediários, tais como Duveen, Colnaghi, Wildenstein;
ii) O papel do inventário, da catalogação e da investigação académica pelo colecionador particular;
iii) A consideração de uma coleção como recurso privado ou público, publicado ou não publicado, acessível ou não acessível;
iv) A relação com o papel emergente da História da Arte como disciplina académica;
v) A relação com os Museus e com a atividade museológica contemporânea;
vi) As convulsões políticas, em particular na URSS e na Alemanha, a Guerra e os seus efeitos sobre o mercado da arte;
vii) O contexto geopolítico em mutação, em particular no Médio Oriente.
viii) Questões atuais relacionadas com a documentação de coleções particulares.

+info/fonte: https://gulbenkian.pt/museu/noticias/colecionismo-modus-operandi-1900-1950/