2.º Colóquio “Saudade Perpétua”

Data limite: 31 de Março
Embora mantendo-se o tema geral e os objectivos daquele que foi primeiramente realizado em 2016 (em Vila Nova de Gaia e no Porto), o 2º Colóquio “Saudade Perpétua”, a realizar-se na Ilha de São Miguel, nos Açores, em 28-30 de Setembro de 2018, terá dois painéis: um, de carácter temático, com comunicações dedicadas às Artes Gráficas no Romantismo; outro, de carácter geral, no qual serão enquadradas as demais comunicações que versem a Arte, a Cultura, e o Património do Romantismo. 
As actas reflectirão esta divisão em dois painéis – um de carácter temático e outro de carácter mais genérico – podendo vir mesmo a ser publicadas em volumes separados.
É geralmente considerado que o Romantismo expressa-se em Portugal de forma mais marcada no período de 1834 a 1910, correspondente ao Liberalismo. Apesar disso, porque em determinadas áreas do conhecimento e das artes, assim como em certas franjas sociais, são conhecidos diversos fenómenos pré-românticos e também tardo-românticos, ao 2º Colóquio “Saudade Perpétua”, podem ser propostas comunicações inéditas sobre qualquer tema que se enquadre no Romantismo num sentido lato.
Estes são alguns temas possíveis, apenas a título exemplificativo: 
Instituições, Sociedade, Moda, Publicidade, Etnografia e Costumes, Urbanismo, Arquitectura e Paisagismo (quintas, palacetes, hospitais, museus, teatros, estações, edifícios administrativos, escolas, mercados, conventos extintos, fábricas, bairros operários, estâncias de veraneio, mirantes, estufas, termalismo e vilegiatura, arquitectura popular, mobiliário urbano, monumentos públicos, cemitérios e tumulária, estatuária, azulejaria, estuques, pintura mural, etc.),Belas Artes, Artes Decorativas e Artes Industriais (cenografia, pintura, gravura e litografia, fotografia, caricatura, mobiliário, joalharia, escultura, cantarias de ornato, serralharia e fundição, faiança, terracota e olaria, etc.), Música, Literatura (incluindo memórias, relatos de viagens, álbuns, cartas de amor, obituários, etc.), Imprensa, Ciência, Tecnologia, Indústria, Famílias e personalidades (titulares, políticos e diplomatas, negociantes, brasileiros de torna-viagem, artistas, editores e jornalistas, professores, médicos, etc.).
Serão também consideradas as propostas de comunicação que abordem o Património tangível e intangível do período Romântico, nomeadamente como recurso turístico, e aquelas que estabeleçam paralelismos com o Romantismo em culturas próximas à portuguesa, ou em culturas que serviram de modelo ao Romantismo português